MEDIANEIRENSES MEMBROS DA ACADEMIA DE LETRAS DO OESTE

O convite da Academia de Letras do Oeste do Paraná (ALOP) a Teresinha Selinke e Lourdes Vivian Alexius para fazerem parte dessa academia, as surpreenderam, mas não para quem conhece a dedicação das duas a gêneros literários já publicados. Essa dedicação rendeu convite da ALOP, em abril desse ano 2021 e em agosto as duas confreiras receberam do presidente José Garcia uniforme alusivo e uma pelerine em cor verde com detalhes dourados.

Presidente da ALOP José Garcia com as duas confreiras recebendo uniforme e pelerine indicativo de empossadas. (Divulgação)

 

ALOP– Academia de Letras do Oeste do Paraná, foi criada em 05 de dezembro de 2020, com sede em Assis Chateaubriand, tem por finalidade congregar pessoas que se dediquem às atividades literárias e artísticas nas mais diversas formas de expressão: realizar estudos e pesquisas na área da literatura da Região Oeste; apoiar, valorizar e difundir o conjunto das manifestações artístico-culturais; promover e incentivar a cultura através da realização de conferências, exposições, concursos, cursos, premiações e outras atividades de natureza cultural. É composta de 40 associados efetivos, dos quais, pelo menos 22, devem residir num raio de 50 km de sua sede. Realiza-se Assembleia Geral e Reunião Ordinária, onde são tratados temas de interesse da academia.

 

 

QUEM SÃO ELAS?

PROFESSORA DE MATEMÁTICA TERESINHA SELINKE – Nasceu Buss, em 1950, em Trombudo Central/SC, terceira numa família de onze irmãos. Aos cinco anos, a família, de origem alemã, mudou-se para Medianeira, vila recém formada no meio da Mata Atlântica e pertencente a Foz do Iguaçu. Como pioneira, estudou o primário na própria vila. No convento, em Curitiba, continuou fazendo o ginásio e, depois, em Joinville/SC, concluiu o científico e realizou o sonho da faculdade, matemática, com habilitação em física, na UNIVILLE.

Em 1973, formada e casada com o professor Selinke, fixam residência em Medianeira, onde dedicam-se ao magistério. Também, por quatro anos, lecionaram em São Miguel do Iguaçu. O Colégio Mondrone foi a casa deles até a aposentadoria. São pais do Fábio, do Cau e do Marcos.

Aos setenta, sempre é tempo de realizar sonhos, Teresinha escreve e edita seu primeiro livro T….INHA, com narrativas da infância.

 

PROFESSORA DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA LOURDES VIVIAN ALEXIUS – Nasceu em Lajeado, RS. Filha de Mário e Iria Vivian. Graduada em Letras pela Unioeste, Cascavel, Paraná. Casada, tem duas filhas, dois netos e uma neta. Atualmente, como professora aposentada, escreve contos, crônicas e poemas. No concurso Cataratas de Contos e poemas, realizado anualmente pela Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, participou com um conto, em 1997, e foi premiada com o primeiro lugar. A narrativa foi publicada pelo Jornal Mensageiro em novembro de 1997. É acadêmica da Academia de Letras do Oeste do Paraná (ALOP) e ocupa a cadeira número trinta e sete.

Participar da ALOP, além de massagear o ego, nos faz sentir que ainda estamos vivas, que não estamos apenas catalogadas no arquivo morto da escola ou da cidade. Temos oportunidade de interagir com colegas, conhecer tantas outras histórias, melhorar nossas produções e continuar nossa ação pela cultura, que sempre foi foco em nossa vida”. exaltaram as novas integrantes da ALOP. (Da Redação/Assessoria)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *