Fotografias

FOTOS HISTÓRICAS MEMORÁVEIS

Uma simples imagem pode comunicar muito mais que a própria história. Nasce um novo link “FOTOGRAFIAS” para mostrar uma série de fotos do nosso acervo que testemunham o passado da Região Oeste do Paraná. Sempre como profissionais de imprensa, tanto como editora do Jornal Mensageiro como da Revista Mosaicos, tivemos este olhar da história com rostos, cores, lugares e texturas de fatos memoráveis- esta foi a razão de termos guardado essas relíquias. Só foi possível pela sensibilidade de muita gente de nos repassar e confiar que um dia as imagens se tornariam públicas- muitas delas já divulgadas. Chegou o momento. Começamos a postar as mais importantes, a contextualização pode ser alterada- é só nos comunicar. E mais, não seguem ordem cronológica.

Porto Oficial que ligava Foz do Iguaçu ao Porto Franco no Paraguai, ao Porto Mendes e Guaíra pelo Rio Paraná; a navegação nas décadas 30 e 40 com produtos e passageiros era por este rio. Em seu percurso rumo à Argentina recebe as águas dos afluentes Iguaçu, Paraguai e do encontro dos rios Paraná e Uruguai forma a Bacia Platina que desagua no Atlântico – via de importação e exportação. O Brasil já tinha o Porto de Santos e foi na década 40 que o presidente Getúlio Vargas se uniu a José Felix Estigarribia presidente do Paraguai para construir uma estrada até Assunção e liberar para o país vizinho o Porto de Santos para não ficar na dependência só da navegação pelos rios.

Uma das reuniões da Comissão Mista Brasil-Argentina em 1979 em Foz do Iguaçu para construir a Ponte da Fraternidade (hoje Ponte Tancredo Neves). Foi acordado, construída e inaugurada em 29 de novembro de 1985.

Área urbana de Medianeira na década 60; o gado vindo do Mato Grosso seguia para Foz do Iguaçu nesta estrada, hoje BR-277 inaugurada em março de 1969. Foi construída na época da Ditadura Militar, ligando a Tríplice Fronteira com o Porto Paranaguá

Anna Hobol Szimanski de Capanema-PR afirma ter estudado com Karol Woityla, o papa João Paulo II. Ela nasceu na Polônia em 1920 e foi colega dele até a 5ª série em Wadovice. Depois a família veio para o Brasil de navio como outros imigrantes; na época Anna tinha 16 anos e soube que o Karol entrara para o seminário

Emílio Henrique Gomes eleito prefeito de Foz do Iguaçu em 1959 pelo PTB. Na foto comemorando com a esposa Rosalina e com o candidato a deputado estadual Pedro Soccol (PSD). Emílio concluiu seu mandato como prefeito da Capital do Turismo e passa a residir em Céu Azul elegendo-se o primeiro prefeito do município (1968 a 1972). Desta vez pela ARENA

O Flamengo Esporte Clube de Foz do Iguaçu fundado em sete de setembro de 1954 colecionou títulos no decorrer dos anos. O primeiro presidente foi Antonio Gonçalves. A Família Basso, a exemplo de Nelson Domareski foi fundamental para consolidação do clube. Nesta imagem o patriarca Pedro Basso com os filhos Irineu e Vitório.

Esse grupo liderado pelo presidente Ivo Antônio Darolt construiu a nova sede social do Clube Esportivo e Social União Medianeirense- CESUM em 1974/1975. A pedra fundamental foi lançada em 27 de outubro de 1974 e inaugurado em 27 de dezembro de 1975. Em tempo recorde ficou pronto pela mobilização da diretoria em busca de doações junto aos associados.

Ato solene em Brasília no lançamento do Ano Nacional do Turismo na década 90 que contou com comitiva de Foz do Iguaçu Cláudio Rorato presidente da Câmara, Dobrandino Gustavo da Silva prefeito, Sérgio Spada deputado Federal, Vadis Luiz da Silva consultor, diretor Financeiro da Embratur e Pelé Ministro dos Esportes

Em solenidade especial professor Ataíde Moacyr Ferraza diretor do CEFET PARANÁ (hoje UTFPR) condecorando Empresário do Ano Irineo da Costa Rodrigues presidente da COTREFAL- na atualidade Lar Cooperativa Agroindustrial. Evento realizado em maio de 1994 pela Associação Empresarial de Medianeira-ACIME e CEFET que destinguiu personalidades e empresas que buscavam avanço tecnológico

No Memorial JK de Brasília, inúmeras preciosidades históricas. Esta de Getúlio Vargas no segundo período em que fora presidente eleito (1951 a 1954) com Juscelino Kubitscheck de Oliveira governador de Minas Gerais em 1953. Juscelino foi eleito presidente do Brasil em 1955, tendo como vice João Goulart lançando o Plano Metas: O Brasil iria desenvolver 50 anos em 5”. A marca de seu governo foi a construção de Brasília e aqui na região o início da construção da Ponte da Amizade.

Albino Bissolotti empossado prefeito nomeado de São Miguel do Iguaçu (município pertencente à Área de Segurança Nacional) em 1974 no lugar de Felice Pagot que se licenciara para concorrer a Deputado Estadual. Na foto presença do Dr. Zacarias Seleme, secretário do Interior e Justiça, demais autoridades e convidados

Momento Cívico Especial de 1964 da equipe do Colégio Arthur da Costa e Silva e autoridades, logo após desfile de Sete de Setembro. Da direita para esquerda para relembrar: Darci Black (professor);Ocleci Dalazen Rosa (inspetora);Ângelo Darolt (prefeito-in memoriam); Ana Ladi Garcia (professora); Aldemira Galvan (professora); Gessi Leite Piovesan (professora- in memoriam) ; Hilegarde Maria Rhode( professora); Maria D’Agostin (zeladora); Nágnia Basílio (professora- in memoriam); Carmela Rizieri Garcia (diretora-in memoriam e Lourdes Brunhera Bogoni (professora)

 

Presidentes do Brasil Ernesto Geisel e do Paraguai Alfredo Stroessner selam o acordo em 1974, formalizando a construção da Itaipu Binacional (foto). Os acordos bilaterais iniciaram em 1966 quando foi assinada a Ata Iguaçu. Em 05 de maio de 1984 entrou em operação a primeira das 20 unidades geradoras de energia. Itaipu foi decisiva para o desenvolvimento da região e do país.

O fechamento da Estrada do Colono que corta o Parque Nacional do Iguaçu pelo Ministério Público Federal aconteceu em 1986. Reabertura ilegal em 1997 e seu fechamento definitivo em 2001 numa ação conjunta do Exército, Polícia Federal e IBAMA. Ainda se tem esperança que reabra pela sua história, por ali passaram os Jesuítas ainda em 1.600, a Coluna Prestes e os colonizadores do Oeste do Paraná, Mato Grosso e Centro Oeste do Brasil.

Abertura dos Jogos Mundiais da Natureza em Foz do Iguaçu setembro de 1997- presidente Fernando Henrique Cardoso recebe do governador Jaime Lerner distinção na presença do ministro dos Esportes Pelé e outras autoridades. Uma iniciativa inédita de competição na terra, na água e no ar em 13 modalidades na Costa Oeste entre Foz do Iguaçu e Guaíra. Reuniu 809 atletas de 55 países. O evento morreu e as Bases Náuticas abandonadas pelo descaso dos governos que sucederam Jaime Lerner.

A volta do exílio de Leonel Brizola deu-se em 05 de setembro de 1979, num bimotor que aterrissou no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu vindo de Assunção (PY). Ele foi recepcionado por centenas de lideranças e correligionários, inclusive pelos brizolistas Tranquilo Pedro Valério e Lauro Loose de Medianeira. Dentre os companheiros que aparecem na foto o vereador Sérgio Spada (depois fora deputado Estadual e Federal); jornalista/escritor Aluízio Palmar autor do livro-“Onde foi que vocês enterraram nossos mortos?;deputado Júlio Dias e o presidente da Associação de Debates e Estudos do PTB Matheus Schmidt. Emocionado Brizola afirmou: “Estou com o coração cheio de saudade, mas limpo de ódios. Retorno para tratar do ressurgimento de nossa causa”. De Foz do Iguaçu seguiu para São Borja (RS) onde visitou os túmulos de Getúlio Vargas e João Goulart.

Irineo Mario Colombo engajado na luta pela duplicação da BR-277. Participou junto com demais políticos, entidades organizadas, cooperativas e CACIOPAR de mobilizações que resultaram na duplicação da rodovia de Foz do Iguaçu-Medianeira num percurso de 60 km no governo de Jaime Lerner no final da década 90; de Medianeira- Matelândia de 35 km no 1º governo de Beto Richa (2011-2014). Aconteceram também mobilizações pró- duplicação na região de Guarapuava e alguns trechos já foram duplicados. A luta continua porque desde a inauguração em 1968(obra do Regime Militar) pouco foi realizado além da conservação. Colombo foi professor da UTFPR, vereador de Medianeira (PR), deputado Estadual e Federal, diretor do Ministério de Educação, professor e reitor do IFPR. Seus familiares ainda residem na Linha Mineira em Medianeira.

A iniciativa de construir a Ponte da Fraternidade ligando Brasil-Argentina remete a 1972, mas foi retomada por lideranças de Foz do Iguaçu e Puerto Iguazu e fundamentado o acordo em 1982 pelos presidentes João Fogueiredo (Brasil) e Reynaldo Bignone (Argentina) ao lançarem a pedra fundamental como demonstra a imagem. Início das obras em 1983 conforme projeto de 499 m de comprimento, vão livre de 220 m, 16 m de largura e 72 m de altura. Inaugurada em 1989 pelos presidentes José Sarney e Raúl Alfonsin. O Brasil para homenagear o presidente Tancredo Neves que morreu sem assumir o cargo, batizou a ponte com seu nome, o que não agradou tanto brasileiros quanto argentinos que preferem chamá-la de Ponte da Fraternidade.

O Aeroporto Miguel Adolfo Orth de Medianeira (PR) via Bairro Nazaré às margens da PR-495 foi construído na administração do prefeito Adolpho Mariano da Costa. No decorrer de anos a aterrissagem e decolagem foram normais, servindo para autoridades, políticos, cantores e lideranças, mas foi desativado na virada do século. Está abandonado e ainda não está definido o destino do espaço. Um dos momentos do auge do Aeroporto quando da chegada da vice-governadora do Paraná Emília Belinati. Ela que foi a primeira mulher a chegar ao Palácio Iguaçu na chapa do governador Jaime Lerner, elegendo-se e reelegendo-se (1995 a 2002)

Momento em que a placa fora descerrada inaugurando a NZ-1na costa Oeste do Paraná que liga Missal-São Miguel do Iguaçu no final da década 80 (estadualizada em 2001 passando a se chamar PR-497). Foi construída pela Itaipu época em que Ney Aminthas de Barros Braga era diretor geral da Binacional (1980-1990)- ele que fora militar e político. Dentre os cargos que ocupou deputado Federal, governador do Paraná, ministro da Agricultura, da Educação. Destaque no ato inaugural o prefeito de Missal Lucinano Kreutz na 1ª gestão (1983-1988)

Foi em 1916 que Santos Dumont visitou as Cataratas do Iguaçu vindo da Argentina e se deslumbrou com a beleza dos saltos. Ao saber que a área pertencia ao uruguaio Jesus Val ficou surpreso e logo intermediou junto às autoridades do Estado do Paraná para interferir e tornar o espaço de domínio público. Não tardou que isso acontecesse e em 1939 o PNI foi incorporado ao patrimônio nacional por decreto do presidente Getúlio Vargas. Em Foz do Iguaçu Santos Dumont se hospedou no Hotel Brasil de Frederico Engel e família. Elfrida Engel filha de Frederico/Carolina sempre sonhara em erguer um monumento ao Pai da Aviação no Parque Nacional do Iguaçu próximo as Cataratas que acabou acontecendo. O ato inaugural deu-se em 05 de maio de 1979 (foto); resultado de uma conjugação de esforços da Itaipu Binacional, Aeronáutica, VASP e Prefeitura de Foz do Iguaçu. A estátua de bronze, anos depois por necessidade de revitalização do PNI, mudou de lugar e se encontra próximo ao Restaurante Canoas às Margens do Rio Iguaçu com outros dizeres de identificação.

A BR-277 é uma rodovia federal transversal do Brasil construída durante o regime militar na década 60. Foi inaugurada em março de 1969 e tem 730 km de extensão, com início no Porto de Paranguá e término na Ponte da Amizade em Foz do Iguaçu. Conhecida também como Rodovia Panamaricana por fazer a integração com países da América Latina. Em 1997 a BR-277 e demais rodovias do estado passaram por um processo de concessão/pedagiadas  formando o Anel de Integração do Paraná por um período de 24 anos. De Guarapuava a Foz do Iguaçu operada pela concessionária Ecocataratas. A duplicação da rodovia de Foz do Iguaçu a Medianeira ocorreu no governo Jaime Lerner e de Medianeira a Matelândia no governo de Beto Richa. Mas a luta continua para duplicação até Cascavel e em toda a extensão ainda não duplicada. A foto histórica da BR-277 mostra a construção da rodovia no perímetro urbano de Medianeira em 1966

Relembrando a passagem por Medianeira dos craques Milionários em novembro de 1976 para se enfrentar com o União, que para surpresa, o time da casa venceu por 3 x 2 quebrando a invencibilidade de time visitante de 30 partidas. Na foto dois dos atletas que deram muitas glórias ao Brasil e conquistas da Copa do Mundo Mané Garrincha e Dijalma Santos com o técnico João Toledo e seu filho recepcionados pelo empresário Jamir Lamin, executivo de Organizações Fioreze Salinas Macias e o contabilista Armindo Doro Frandoloso em frente a Caça e Pesca “Barcaça”. Importante lembrar que na década 70, o União era um time de contínuas vitórias e títulos, tanto é que, em 1972 conquistou a Taça Paraná.

Momento do ato de entrega da Escritura Pública pelo Juiz da Comarca de Medianeira Olivar Coneglian à Cooperativa SUDCOOP (hoje FRIMESA) em 27 de dezembro de 1979. Na oportunidade Ignácio Aloysio Donel presidente da COTREFAL (hoje LAR) que intermediou a transação de compra da massa falida do Frigorífico Medianeira S.A.- FRIMESA exaltou a luta cooperativista nas complexas negociações e a atuação decisiva do magistrado para encontrar uma solução. A partir da compra, o reflexo positivo atingiu diretamente Medianeira e toda a região acionando um novo ciclo de desenvolvimento.
A aquisição da massa falida só foi possível com a união das cooperativas filiadas: COPAGRIL, LAR, COPACOL, C. VALE e PRIMATO que apostaram na união e no compromisso de fornecer a matéria prima suínos/leite para industrialização. A solidez aos poucos foi avançando e chega a um mix de cerca de 500 produtos, gera mais de 7 mil empregos, se posiciona entre as 10 empresas do Sul do país e entre as 500 Maiores & Melhores do Brasil.
Vale lembrar que a história registra que o Frigorífico Medianeira S.A. – FRIMESA foi constituído em 1959, na década do início da Colonização de Medianeira, inauguração em 1964 e a falência em 1977.

O jornalista Paulo Henrique Amorim que morreu de infarto, neste julho de 2019, no Rio de Janeiro aos 76 anos já esteve em Medianeira proferindo palestra (maio de 2015) a convite da Associação Empresarial de Medianeira (ACIME) em comemoração ao Dia da Indústria. Tematizou sobre as perspectivas econômicas do país, as dificuldades burocráticas que engessam o desenvolvimento. Elogiou a região, em especial Medianeira que gera prosperidade através de uma integração social-um dos poucos lugares do Brasil que falta gente para trabalhar. Em 58 anos de carreira, Amorim passou pelo Jornal A Noite; pelas revistas Manchete, Fatos e Fotos, Realidade, Veja e Exame; Jornal do Brasil, Fantástico, Jornal da Band, da Cultura e da Record. Recentemente, foi afastado de seu cargo como apresentador do Domingo Espetacular da Record que exercia desde 2006, o que atribuiu às suas críticas ao juiz Sérgio Moro e ao presidente Jair Bolsonaro.

Em 1987 foi criada a Unidade de Medianeira do CEFET, hoje Campus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UFTPR) na gestão do prefeito Adolpho Mariano da Costa e inaugurada em 1991 na gestão do prefeito Elias Carrer. Iniciou com cursos Técnicos de Nível Médio em Alimentos e Eletromecânica. Em 1996, foi implantado o primeiro curso superior o de Tecnologia em Alimentos e aos poucos foram surgindo outros tantos. Atualmente são ofertados cursos de Engenharias de Alimentos, Ambiental, Elétrica, de Produção; Ciências da Computação, Licenciatura em Química e Tecnologias em Alimentos, Gestão Ambiental e Manutenção Industrial, além de vários cursos de especialização, mestrado e intercâmbio internacional. Conta com mais de 2500 alunos vindos de vários estados que se envolvem também em ações da comunidade e influenciam no modo de ser e viver dos medianeirenses. Foto das instalações na década 90.

O sucesso da Expomed de 1999 realizada no Parque de Exposições Tancredo Neves se comprova nessa imagem. Ao todo foram realizadas 13 exposições de 1979 a 2003;a 1ª realizada nos Armazéns da Perdigão Rua Bahia defronte ao Estádio Edgar Darolt em 1979, liderada pelo empresário Ivo Antonio Da Rolt com apoio do poder público municipal, classe empresarial (ACIME), cooperativas e comunidade; a 2ª nas proximidades da Escola Semíramis de Barros Braga; já a 3ª Expomed foi realizada no novo Parque de Exposições em 1985. Fora construído numa área de cinco alqueires que pertencia ao município para esse fim por uma decisão visionária do prefeito Luiz Bonatto, o que possibilitou a construção do parque em tempo recorde pelo prefeito Ivo Antonio Da Rolt.
Ao realizar a 11ª edição Expomed se encerrou o ciclo de exposições no local. A partir de 2003 o parque foi praticamente abandonado, visto ter surgido ideia de realizar exposições no Pavilhão da Igreja Matriz, batizada de FEMULT, por anos sequenciais. A última foi realizada no Lar Centro de Eventos em 2017. No entanto, para utilização do espaço do parque brota uma brilhante iniciativa das forças vivas da comunidade de repassar à UTFPR- Campus Medianeira para instalação Parque Científico e Tecnológico de Medianeira – atendendo aos anseios da própria universidade. A ideia foi aceita pelo poder público municipal na gestão do prefeito Elias Carrer e formalizada a doação, recentemente, na gestão do prefeito Ricardo Endrigo que objetiva prover o desenvolvimento no que tange a inovação, competitividade industrial e capacitação empresarial. Vamos aguardar com ansiedade para que o PCT seja uma referência em tecnologia…

Na inauguração da Ponte Ayrton Senna sobre o Rio Paraná ligando os municípios de Guaíra (PR) e Mundo Novo (MS), o então governador Jaime Lerner bradou vitória fazendo uma analogia ao Tema da Vitória consagrada pelo piloto na Fórmula 1- canção instrumental composta pelo maestro Eduardo Souto. A ponte de 3607 metros de comprimento foi inaugurada em 24 de janeiro de 1998 na segunda gestão de governo de Lerner e se destaca pela construção de 98 colunas concretadas dentro do Rio Paraná, sendo a única ponte do mundo em curva na parte central. A visão do governador Lerner possibilitou a integração das fronteiras agrícolas das regiões Norte e Centro-Oeste com a Região Sul do País, representando uma importante conexão estratégica em termos de logística e intermodalidade.

Governador Jayme Canet Júnior e comitiva recepcionada pelo prefeito Luiz Bonatto nos festejos de 15 anos de Medianeira, em 1975. Na programação inaugurações do Sistema de Abastecimento de Água, Sistema de Discagem Direta à Distância (DDD), lançamento da pedra fundamental do novo sementeiro e inauguração do armazém de grãos da Cotrefal (hoje Lar), assentamento da pedra fundamental do Colégio Comercial de Medianeira (que não saiu do papel) e lançamento da Revista Mosaicos. Medianeira nessa época estava no auge do desenvolvimento até que em 1977 foi decretada falência do Frigorífico Medianeira S.A –FRIMESA que voltou a funcionar em 1980 conduzido por uma união de cooperativas que continua gerando emprego, renda e divisas. Nessa década 80, precisamente em 1986 o município sofreu outro baque restritivo de crescer ao ser fechada a Estrada do Colono. No entanto, com a ascensão do sistema cooperativista da Frimesa e Lar, instalação do CEFET (hoje UTFPR), evolução industrial, comercial, prestação de serviço e do agronegócio, o município passou a respirar progresso desafiando a conjuntura nacional.

Momento histórico que evidencia as professoras coordenadoras do livro Resgate da Memória de Medianeira Elza Lorenzoni Biesdorf e Hilegarde Maria Rohde, ao entregar a obra ao colonizador Pedro Soccol. O livro foi o resultado de extensa pesquisa feita pela Associação dos Professores Aposentados de Medianeira que reúne depoimentos, fotografias e mapas resgatando assim a história do município. Como exalta a apresentação do livro pelas autoras: ”É motivo de orgulho e satisfação tornar público este trabalho. Servirá para o futuro como prova de amor dos pioneiros que deram depoimentos e colaboraram para que esta história chegasse ao conhecimento da comunidade. Aqui fica a nossa contribuição para a formação dos homens do amanhã.” Obra esta que teve como principais apoiadores o CEFET(hoje UTFPR Campus Medianeira) e Prefeitura Municipal na gestão de Antônio Luiz Baú.

O arquiteto Oscar Niemeyer ao apresentar o projeto do Monumento Coluna Prestes na década 90 para o prefeito de Santa Helena Silom Schimidt e deputado Estadual Irineu Mario Colombo- monumento que se tornou realidade e passou a ser atração turística- histórica do município e Região Oeste. Situado próximo a Ponte Queimada que sinaliza a passagem da Coluna Prestes nos anos 1924-1925, por onde seus integrantes foram perseguidos pelas tropas legalistas comandadas pelo general Cândido Rondon. Os revolucionários de Prestes em retirada queimaram a ponte sobre o Rio São Francisco Falso em Santa Helena, construída pela empresa colonizadora Companhia Domingos Barth. Após este episódio ficou conhecida como Ponte Queimada. O Monumento Coluna Prestes sintetiza essa passagem histórica- obra estruturada em concreto armado com 15 metros de altura. Em um dos pilares está afixada placa de bronze com inscrição alusiva.

Como registra a história esta foto sinaliza o início da colonização de Medianeira. Neste local foi construído carpintaria, república e ferraria para abrigar os primeiros que se aventuravam vir para este pedaço do Paraná. Na bagagem muitos sonhos e a vontade de aqui começar a estruturação básica de transformação chegando ao que podemos conferir, 68 anos depois. E foi em 24 de outubro de 1951 o ato simbólico, o marco da colonização, nas imediações onde se localiza hoje o Hotel Passarela- esta a razão de denominar a via de Avenida 24 de Outubro e considerar esta a data de fundação. Na época os primeiros comércios e indústrias foram se instalando nesta avenida às margens da BR- 277 que faz conexão com a Tríplice Fronteira e assim continuou, tanto é que na atualidade a expressão econômica do município está pontuada na Avenida 24 de Outubro e que nem sempre nos damos conta.
Só que a avenida nunca foi prioridade, nunca foi valorizada pelo que gera de riquezas e empregos, até que a ideia brotou recentemente de revitalização- uma iniciativa do Conselho de Desenvolvimento de Medianeira que conta com apoio do poder público. Vamos aguardar…