Seca dos rios: exportações do Paraguai que seguiam por navios agora passam pelo Porto Seco de Foz

Carga é levada de caminhão a Cascavel, de onde é transportada por trem até o Porto de Paranaguá, em uma nova formatação logística.

Devido à seca dos rios, principalmente com a redução dos níveis de água do Rio Paraná, o escoamento das exportações do Paraguai tem uma nova formatação logística. Grande parte das cargas agora passa pelo Porto Seco de Foz do Iguaçu para seguir caminho até os países de destino.

Quando as condições de navegabilidade eram favoráveis, esse movimento de transporte internacional de produtos era feito por navios que saíam da Argentina. “Porém, como as cargas chegavam até os portos argentinos por transporte fluvial, esta modalidade ficou impossibilitada devido à seca dos rios”, informa a Receita Federal do Brasil.

Nesse contexto, a Receita Federal realizou neste mês o primeiro trânsito aduaneiro multimodal no Brasil. Os caminhões entram em território brasileiro pelo Porto Seco iguaçuense, e a carga é liberada no mesmo dia pelo serviço da alfândega.

Os produtos são levados até o Porto Seco de Cascavel por via rodoviária. “Como não há trilhos de Foz do Iguaçu até Cascavel, caminhões realizam várias viagens por esse trajeto transportando principalmente farelos de soja que estão estocados no Paraguai”, descreve a assessoria da RFB.

Na cidade de Cascavel (PR), ocorre o transbordo da carga para os vagões do trem, os quais seguem viagem até o Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná. Os produtos são descarregados nos depósitos portuários e, na sequência dos trâmites, são embarcados em navios para vários países da Europa.

“Essa iniciativa otimiza a logística de cargas, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil e do Paraguai”, aponta a Receita Federal. Segundo o órgão, empresas brasileiras atuam em conjunto com a RFB para operar esse modelo logístico, garantindo o escoamento da produção e movendo a economia dos países. (Fonte: H2Foz)

O Porto Seco recebe as cargas do Paraguai e as remete para Cascavel – Foto: Marcos Labanca/Arquivo

Produdos paraguaios são baldeados para vagões de trem, em Cascavel – Foto: Receita Federal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *